sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Deliciei-me Enquanto ELE dormia

Eis meu primeiro conto a ser postado aqui no Blog. Espero que apreciem.

Antes de tudo gostaria de me apresentar, me chamo Rafaela, tenho 26 anos e curso engenharia elétrica na UFRGS no 7º Semestre. Considero-me uma mulher normal, sou morena clara, tenho um corpo bem definido, sem exageros nem pra mais nem pra menos. Apesar de não ter namorado possuo uma vida sexual ativa graças a alguns dos meus ex-namorados e ficantes que invariavelmente estão atrás de mim.

Como podem imaginar, praticamente só tenho colegas homens, e apesar de ser mulher e viver ouvindo piadinhas e comentários maliciosos sobre o “sexo frágil”, me dou bem com meus colegas e todos sem exceção me respeitam. Claro, vez que outra escuto uma cantada aqui e outra ali, mas não me importo, e apesar de não demonstrar acho o máximo estar rodeada de homens e ser o centro das atenções.

De todos os meus colegas, me dou especialmente bem com três deles, Fábio, Marcelo e Rodrigo, são amigos mesmo, sempre fizemos nossos trabalhos da faculdade juntos, e vez que outra saímos juntos para a balada, mas sempre como apenas amigos mesmo. Certo dia, em um intervalo da aula, estava conversando com um dos meus amigos quando os meninos que estavam em outro grupinho, como sempre brincando e rindo quando ouvi um deles falar algo como Rodrigo o grande, o dotadão da turma, até achei engraçado imaginar o Rodrigo como um cara bem dotado, logo ele, um dos meus colegas mais discretos, mas na hora não dei muita bola.

Então foi para minha surpresa que acabei tendo aquele sonho... como todo sonho, esse foi muito estranho, não lembro exatamente como as coisas aconteciam, apenas lembro que estava com Rodrigo, e ele me possuía de todas as maneiras com um membro descomunal... acordei completamente excitada.
O dia após esse sonho foi diferente... eu não conseguia tirar as imagens da cabeça, a ponto de não conseguir me concentrar nas aulas, principalmente porque Rodrigo sentou ao meu lado. Apesar de tentar de todas as formas, não conseguia parar de olhar o colo dele, sua bermuda... e imaginar como seria por baixo dela, me peguei novamente excitada graças a minha imaginação fértil.

No dia seguinte, os efeitos daquele sonho já não estavam tão a flor da pele, embora tenha me pegado algumas vezes olhando maliciosamente para o volume de Rodrigo, e pude constatar que aparentemente as brincadeiras não eram mentira. Era sexta feira, e também aniversário de Marcelo. Nós iríamos comemorar em uma festa badalada aqui de Porto Alegre, por ser mais velha e já ter meu carro próprio é comum dar carona para os meninos, entre eles Rodrigo que apesar de já ter idade (19 anos) ainda não possui carteira de motorista.

Então passei primeiro na casa de Leandro, depois na de Fábio e por ultimo na casa de Rodrigo que era o que morava mais longe da minha casa e da festa, e nos dirigimos então à balada. A festa como sempre foi muito agitada e regada a bebida... eu não costumo passar dos limites, mas nesse dia estava bem “alegrinha” no fim da festa, um pouco por causa da bebida e outro tanto por ter ficado com um cara lindo na festa.

Os meninos por sua vez passaram do limite, principalmente (para minha surpresa) o Rodrigo, nunca havia visto ele tomar um porre daqueles, até por ser mais reservado ele também costuma ser mais comedido na bebida, mas nesse dia ele extrapolou, bebeu todas a ponto de apagar dentro do meu carro, praticamente em coma. Eu cheguei a ficar preocupada, mas os outros meninos disseram que ia tudo ficar bem, logo restaria apenas uma ressaca, então meio contrariada fomos embora, eram 4:30 da madrugada.

Deixei Leandro e Fábio nas suas casas e me dirigi à casa de Rodrigo, a essa altura nem lembrava mais do sonho que tivera na noite anterior, pelo menos até me abaixar para pegar o Celular de Rodrigo que havia caído no carpete do carro. Ao me abaixar, fiquei com o rosto próximo ao colo de Rodrigo. Nesse momento algo como uma onda de choque passou por minha mente, havia instantaneamente me dado conta da situação, eu e Rodrigo sozinhos, sem ninguém por perto, sem testemunhas e ele completamente apagado.

Como num passe de mágica todas as imagens do sonho vieram à tona, e um arrepio tomou conta do meu corpo, cheguei a ficar tonta com a situação. Parei o Carro. Estávamos a algumas quadras da casa de Rodrigo, a rua, deserta, tentei me controlar, em vão. Quando dei por mim, estava com os olhos atentos ao volume que Rodrigo apresentava entre as pernas, minha imaginação não parava de fervilhar, eu podia fazer TUDO o que quisesse e ninguém jamais saberia..... Estava excitada.... completamente molhada.

Toquei seu braço uma vez... duas, o empurrei três vezes.... nada.

Tentei acordá-lo, chamei seu nome, empurrei mais forte e ele apagado, dei tapinhas em seu rosto e nada. Ele nem se movia. Com um misto de nervosismo, adrenalina e tesão, minha mão tremula, começou a se aproximar da bermuda..... toquei suas coxas com a ponta dos dedos, Rodrigo não reagiu. Escorreguei a pontinha dos dedos pelas coxas, subindo devagar...

Jamais imaginei aquilo, jamais fui santa, mas sempre soube me preservar, jamais poderia sequer cogitar em fazer algo como aquilo que estava de fato fazendo agora, principalmente por se tratar de Rodrigo, que apesar de ser bonito, jamais chamara minha atenção como homem, até aquela brincadeira no dia anterior. Cheguei na altura da sua cueca com a ponta do dedo. Parei. Rodrigo Imóvel. Respirei fundo e prossegui, senti minha buceta pulsar quando toquei seu pau, a brincadeira era verdade, seu pau era de fato enorme.

Inicialmente comecei passando a pontinha do meu dedo em toda a toda sua extensão, apesar de ser maior que a média, seu forte não era o comprimento, mas sim sua grossura. Mordi os lábios e quase soltei um gemido baixo quando constatei o tamanho da cabeça de seu cacete. A partir daí meus instintos me dominaram, a essa altura já nem me preocupava se alguém estivesse olhando, então com a mão inteira comecei a apalpar e apertar o pau do meu coleguinha... estava ficando maluca ao perceber o tamanho real da ferramenta que estava em minhas mãos.

Ao mesmo tempo instintivamente a minha outra mão procurou minha bucetinha, estava com uma mini saia uma calcinha minúscula, então levantei a mini saia até a bunda e botei a mão dentro da minha calcinha.... até as coxas estavam molhadas. Olhei mais uma vez Rodrigo, e ele imóvel, seu único movimento era o de respirar, então mordi outra vez os lábios, e abri o botão e o velcro de sua bermuda, deixando sua cueca aparecer, a cueca era folgada, tinha um tecido macio, com um pouco de esforço baixei sua bermuda e a seguir sua cueca.

Nem me preocupava mais se Rodrigo pudesse acordar, a essa altura, no fundo até queria que acordasse e me possuísse como tanto desejei naqueles últimos dias, mas apesar disso ele permaneceu imóvel. Estava tocando minha xotinha com vontade, meus dedos estavam todos lambuzados, meu clitóris duro, quando vi aquele pau, que apesar de mole era enorme, não resisti e gozei gostoso, senti tremores em todo o meu corpo e vi o paraíso.

Mas engana-se quem pensa que minha volúpia reduziu, segurei o pau do meu coleguinha e comecei a mover, puxava pra frente e pra trás, escondendo e mostrando aquela cabeça linda, quando dei por mim estava chupando gulosamente aquele pau gostoso. Quando para minha surpresa, minha boquinha milagrosa fez milagre... aquele pau enorme começou a ficar duro, olhei para Rodrigo... e ele pela primeira vez mexeu o rosto, virou para o lado, começando a despertar, era de se esperar que eu parasse tudo e fosse embora, principalmente pq começava a clarear, mas aquele pau gostoso não podia ser desperdiçado assim, precisava ser possuída por ele, estava maluca.

Comecei a chupar da maneira que sei que os homens não resistem, segurando firme e punhetando rápido enquanto chupo e massageio a cabeça com a língua ao mesmo tempo... deu certo, o Pau de Rodrigo começou a inchar na minha boca e ele começou a se mexer, estava acordando, mas eu não conseguia parar, estava adorando sentir minha boca ser preenchida por aquele colosso, que agora mal cabia em minha boquinha....

Rodrigo resmungou algo, apesar de acordado estava grogue, não sabia o que estava acontecendo, apesar de seu pau estar bem acordado, Rodrigo ainda estava semi-apagado, não conseguia nem abrir os olhos. Meu tempo era curto, falei em seu ouvido que estava tudo quem, que ele podia relaxar que eu cuidaria bem dele... e realmente cuidei.

Maliciosamente, baixei o banco do passageiro, até meu colega estar deitado, então agilmente passei para o banco do passageiro e me ajoelhei sobre meu colega de frente para ele e de maneira que seu pau grosso estava ao alcance da minha bucetinha inchada. Sem dispor de tempo, não demorei a afastar minha calcinha para o lado, e encostar aquela cabeça enorme na minha rachinha, comecei a forçar, apesar de estar completamente lubrificada e pulsante, tive dificuldades de fazer a cabeça entrar, relaxei e soltei meu peso. Vi estrelas quando a cabeça finalmente entrou, em um misto de dor e tesão. Soltei mais meu peso, e o pau dele começou a escorregar pra dentro, todinho... até as bolas....

Rodrigo novamente falou algo, mas não consegui prestar atenção, estava quase gozando novamente, cavalgando forte aquele cacete, apenas deitei meu corpo sobre o dele e continuei a meter, saindo e entrando, até que senti meu corpo tremer, e minha buceta morder o cadete de Rodrigo, Gozei como poucas vezes havia gozado antes. Quase desmaiei de prazer, deitei sobre o peito dele e fiquei assim por uns instantes, quando percebi que amanhecia, me recolhi rápido, com dificuldade ajeitei o pau dele e fechei a bermuda, baixei a minha mini saia, me recompus com um sorriso enorme no rosto, satisfeita, achando graça e feliz que ninguém tinha percebido nada, nem mesmo Rodrigo....... ou pelo menos é o que eu pensava até receber um e-mail de Rodrigo no Sábado à noite.....o conteúdo do e-mail? Fica para a próxima história.... ;-) FIM !!!!

25 comentários:

  1. MELDELS COMO NINGUÉM COMENTOU AQUI AINDA ME DIZ LOGO O RESTO PFV ;x

    ResponderExcluir
  2. POR FAVOR CADE O RESTO DA HISTÓRIA? O QUE HOUVE COM O EMAIL DO MENINO?? E O RESTO??

    ResponderExcluir
  3. por favor né!! terminem de contar esse historia deliciosa...

    ResponderExcluir
  4. OMG D:
    Termina logo isso :x
    Quero saber !!!

    ResponderExcluir
  5. Quero saber a continuação! Posta logo, vai?

    ResponderExcluir
  6. caramba quero saber o q tinha no e-mail

    ResponderExcluir
  7. aiaiai parece que todas nós queremos saber o conteudo do email...
    que tal postar???
    beijos

    ResponderExcluir
  8. Espero que atinja os 20 comentários logo ;)

    http://www.papersblood.com/

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Por favor, continue a história.

    ResponderExcluir
  13. Gostei muito do blog!!!
    Continuação...

    ResponderExcluir
  14. Nossa!!! Realmente vc soube conquistar a atenção de todos. Até eu estou imensamente curiosa para saber o final. Bjos

    ResponderExcluir
  15. Continua, ta,ta,ta; continua ta, ta, ta rssrsr

    ResponderExcluir
  16. Ahhh já li a história e temos 20 comentários... cade a continuação.... me deixou curiosa demais!!!!

    ResponderExcluir
  17. Olá Marcos!
    Acabei de ler o primeiro conto e posso dizer que você escreve muito bem (pouquíssimos erros de português; nada relevante), mantém o ritmo, não correndo mas também não deixando esfriar; importante para prender a atenção do leitor.
    Mas também vou ser um pouco crítica. Fazes bom uso das palavras, porém alguns termos (apesar de excitantes; tenho que concordar) acabam quebrando o ritmo do personagem feminino construído. Note que que não falo das ações, mas do jeito que a personagem fala delas. Li outros textos de outros autores que cometem o mesmo equívoco; está quase virando um clichê. Acontece quando o homem tenta escrever como mulher, assim como quando uma mulher tenta escrever como o homem; mesmo Anaïs Nin (uma de minhas autoras favoritas) cometeu esses equívocos.
    Bom, espero não ter sido muito crítica. Sucesso nos próximos!
    Agora, vamos à segunda parte...

    ResponderExcluir
  18. U-A-U! O.O
    Espero que se lembre de mim, do Skoob. Vc me convidou pra visitar seu blog e aqui estou eu.
    Um excelente conto, sem dúvidas. Apesar de conter alguns erros de português e do enredo não ser assim tão único, já que o tema é clichê, você conseguiu colocar paixão no que escreveu. E certamente conseguiu o que queria, que é despertar o interesse de quem lê.
    Sou uma escritora amadora também, mas escrevo no ramo de fanfics, por isso digo que nada melhor do que a prática pra levar a perfeição.
    Continue escrevendo. As ideias amadurecem, a escrita se desenvolve e o texto vai ficando cada vez mais e mais cativante. ;)

    ResponderExcluir
  19. Parabéns, Marcos!
    Vc realmente sabe prender a atenção do leitor!
    sucesso com o blog.
    ;)
    umaleitoradelinguasolta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Concordo com a Lidi quando ela diz que alguns termos quebram o ritmo da personagem feminina... Mas o texto está legal... me cativou.

    ResponderExcluir